10 setembro, 2011

O Rosto da Fome




O ROSTO DA FOME

Que vergonha,
O rosto da fome
Tem olhos de criança,
Pele macia e mãos pequeninas,
E traja o presente
Com a cor da esperança
Que os seus olhos vestem dia-após-dia.
Esquecido e calado, vagueia à deriva,
Pela sorte enferma que lhe chora a vida.
Nas mãos, um punhado de restos
Tão mudo e tão mouco…
E o que sobra e que fica
É uma sombra oriunda
Da cegueira de todos!

Que vergonha,
O rosto da fome
Tem olhos de criança!

13/08/2011
Ana Martins

A Poesia no Encontro do Tempo- Concurso de Poesia no Centro Cultural de Campos- Portugal.


Ana Martins,primeiro lugar no concurso de poesias, escreveu o livro Ave sem Asas, em 2010.Ribatejana,natural de Santarém e Fafense por adoção. "Passou a infância entre África e Portugal, o que lhe permitiu o contato e uma perspectiva de diferentes culturas,enriquecendo assim o sentido humanístico,característico na sua personalidade. "

10 comentários:

Ana Martins disse...

Amiga querida!
Agora fizeste-me chorar, vi no meu blogspot o teu post e vim a correr, tenho um nó na garganta e sou feliz por ter amigos assim como tu.

Os teus poemas também são lindos, até comentei com a Ná, que não entendo porque publicas quase sempre textos e poemas de outros poetas e escritores.

Beijinho grande,
Ana Martins

manuela baptista disse...

Linda,

Ana,

a fome tem muitos rostos

e os poetas mudam o mundo com a sua voz


dois abraços,

um, aqui tão perto

o outro, vai e vem com o mar!


manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

LINDA SIMÕES


Minha Querida,


O rosto da fome
é um rosto que se some


Um grande beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 10 de Setembro de 2011

Lusa Vilar disse...

Triste realidade! E tão pouco fazemos para mudar, haja vista o nosso comportamento omisso em relação a corrupção instalada no mundo.Sem ela, com certeza sobraria pão para as crianças.
Parabéns a poetisa, obrigada, Linda, por proporcionar esse momento de reflexão.

Beijos.

difusosreflexos disse...

Olá Linda!

Já conheço o poema e a poetisa, que muito admiro.
O poema tem uma força e uma mensagem que a todos envergonha.

Ana Sofia

Fernanda disse...

Querida amiga Linda!

Quanta emoção!
Ambas somos amigas da Ana, mas tu que foste concorrente ao mesmo Concurso, aqui estás, mais uma vez, de coração puro e aberto a dar de ti, a fazer o mais belo, prestar homenagem à justíssima vencedora.

Cada vez gosto mais de ti.
Obrigada

Beijinhos

Fernanda disse...

Querida Linda!

Falei de ti hoje com a Maria José.
Ela esteve cá ontem mas não viu o seu comentário entrar, o que lamenta imenso.
Naturalmente, terá sido pelo facto de ela estar mais habituada a comentar no wordpress. Como sabes ela não é Blogger e falta-lhe o traquejo que nós dominamos.

Depois da Ana, deste post, "exigo" ver aqui os teus belíssimos poemas publicados.

Beijinhos

Maria Luisa Adães disse...

Lindo poema!

Obrigada,

Mª. Luísa

Maria Luisa Adães disse...

O rosto da fome
Tem olhos de criança...

Que dizer?
É verdade!

Mª. Luísa

Sonhadora disse...

Minha querida

Desculpe entrar assim,mas vi aqui amigas comuns, e o lindo poema da Ana e também a querida Ná, e tomei a liberdade de seguir para poder voltar.

Um beijinho
Rosa