26 agosto, 2009


Saudade...

Do Sol que divides
Da flor que ofertas
De um dengo
uma palavra amiga
Da mão estendida
Dos braços abertos
Do abraço certo...


Saudade...

Do ensaio de um sorriso
Do envio de beijos
Do cuidado diário
Do carinho sentido...


Saudade...

Da palavra sem arestas
Do jeito doce de ser
Do mote espontâneo das conversas
Até o amanhecer...


Saudade...

3 comentários:

António Castanheira disse...

Olá, Linda!

Saudade...
Há tanto para dizer acerca da saudade...
Eu, neste momento, sinto umas saudades imensas das Ilhas dos Açores.
Para quem gosta da natureza como eu, os Açores são um lugar idílico!...

Espero que esteja tudo bem contigo.
Um abraço
António

victor simoes disse...

Saudade, dizem que é uma palavra bem portuguesa que apareceu no tempo do Rei D.Dinis, o que é certo é que está presente nos nossos dias e existe nos nossos corações, na nossa alma!

Linda adorei este teu poema, afinal dentro de nós bem no íntimo, existe sempre algo novo para descobrir e a saudade é sem dúvida uma manifestação de um estado de alma.

Bjs

Ana Martins disse...

Olá Linda,
Penso que todos os poetas terão um poema com este titulo, como diz o Victor, é um estado de alma e quando aperta nos impulsiona a escrever.

Deixo-te aqui o meu "SAUDADE", postado a 17/07/2008, ainda não nos conhecíamos.


SAUDADE


Despi as memórias antigas
Engavetei os velhos poemas
Afoguei o sofrimento nas lágrimas
Quisera lembrar-te apenas.

Fechei num baú o desgosto
Queimei as feridas abertas
Sequei as lágrimas do rosto
Poli algumas arestas.

Pensei que estava liberta
Mas só fantasiei por instantes
Não há saudade efémera
Mas sim forte e relutante.

Ana Martins

GOSTEI MUITO, MESMO MUITO DO TEU!

Beijinhos,
Ana Martins