25 junho, 2010

Amostra sem valor


...

Eu sei que o meu desespero não interessa a ninguém.
Cada um tem o seu, pessoal e intransmissível:
com ele se entretém
e se julga intangível.

Eu sei que a Humanidade é mais gente do que eu,
sei que o Mundo é maior do que o bairro onde habito,
que o respirar de um só, mesmo que seja o meu,
não pesa num total que tende para infinito.

Eu sei que as dimensões impiedosos da Vida
ignoram todo o homem, dissolvem-no, e, contudo,
nesta insignificância, gratuita e desvalida,
Universo sou eu, com nebulosas e tudo.


António Gedeão - Poeta, professor e historiador da ciência portuguesa.( pseudónimo de Rómulo de Carvalho)

8 comentários:

. intemporal . disse...

.

. da assertividade de António Gedeão, conto a passagem dos dias, sendo ainda tantos em clareza e rigor .

.

. um beijo meu .

.

. um bom fim de semana .

.

. paulo .

.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Um universo em cada um de nós e cada um com um grande valor. arabéns

Ana Martins disse...

Boa tarde de minha amiga,

que escolha fabulosa, é fantástico este poema e incentiva a reflexão.

Quando puder passe pela minha Galeria de Selos, há la um miminho para si.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

victor simoes disse...

Olá Linda, António Gedeão foi de facto um grande poeta, pensador e cientista. O seu legado, aínda hoje se mantém actualíssimo, pleno de interesse e de uma grande riqueza humanista. Particularmente aprecio os seus poemas, os de cariz sociológico,como este que acabas de colocar em post.
Parabéns pela selecção é uma óptima escolha.

Desejo-te um óptimo fim de semana, a ti e aos teus que te são queridos.

Bj

Saozita disse...

Linda, que belo poema de António Gedeão. A poesia de Gedeão é, realmente, comunicativa e marca toda uma geração que, reprimida por um regime ditatorial e atormentada por uma guerra, cujo fim não se adivinhava, se sentia profundamente tocada pelos valores expressos pelo poeta e assim se atrevia a acreditar que, através do sonho, era possível encontrar o caminho para a liberdade.

Tem um bom fim de semana.
Beijinho

Ana Martins disse...

Minha boa amiga,
vamos lá a ver se te consigo explicar direito.
Vais à Galeria de Selos, clicas em cima do selo com o botão direito do rato, de seguida clicas em guardar como, e guardas nas tuas imagens, depois vais adicionar mini-aplicação e clicas em adicionar imagem, guardas e já está.

Espero ter sido útil



Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

J. Ferreira disse...

Bonito poema.

Este é mais um dos inúmeros do António, poeta (entre outras coisas) da Liberdade.

"A pedra filosofal" magistralmente musicado pelo Manel Freire, foi e continuará a ser uma referência, um verdadeiro hino à liberdade.

Boa escolha!

Beijo tertuliano,

freedownloadfont disse...

こんにちは!日本料理は好きですか?