28 setembro, 2008


"Pelo que me diz respeito
Eu sou feita de dúvidas
O que é torto, o que é direito
Diante da vida
O que é tido como certo, duvido
E não minto pra mim
Vou montada no meu medo
E mesmo que eu caia
Sou cobaia de mim mesma
No amor e na raiva
Vira e mexe me complico
Reciclo, tô farta, tô forte, tô viva
E só morro no fim
E pra quem anda nos trilhos cuidado com o trem
Eu por mim já descarrilho
E não atendo a ninguém
Só me rendo pelo brilho de quem vai fundo
E mergulha com tudo
Pra dentro de si
Lá do alto do telhado pula quem quiser
Só o gato que é gaiato
Cai de pé..."

(Martha Medeiros-enviado por Enaide Alves)

Um comentário:

enaide disse...

Oi, Linda Simóes, primeiramente, muito grata por ter postado por aqui, parte do Texto da Escritora que eu admiro.
Pois é minha querida nós criaturas emocionais somos feitas deste metal, TEMOS MEDO, DÚVIDAS, RAIVA....porém também somos poderosas quando estamos vivendo uma grande paixão, pois quando estamos apaixonadas, vivemos uma serie de sentimentos, chegando aos dois extremos desde á audácia a burrice, é um paradoxo, mais o mais importante é enfrentar todos estes sentimentos, pois são eles que nos levam ao aprendizado para o amor e quando compreendemos o amor a paz reina tudo fica mais calmo, mas o importante é passar por todos os estagio.
Agente cai e levanta de novo, e vamos ser feliz!!!!! Enaide Alves