23 dezembro, 2013

Soneto de Natal
Machado de Assis


Um homem, — era aquela noite amiga,
Noite cristã, berço no Nazareno, —
Ao relembrar os dias de pequeno,
E a viva dança, e a lépida cantiga,
Quis transportar ao verso doce e ameno
As sensações da sua idade antiga,
Naquela mesma velha noite amiga,
Noite cristã, berço do Nazareno.
Escolheu o soneto... A folha branca
Pede-lhe a inspiração; mas, frouxa e manca,
A pena não acode ao gesto seu.
E, em vão lutando contra o metro adverso,
Só lhe saiu este pequeno verso:
"Mudaria o Natal ou mudei eu?"

4 comentários:

manuela baptista disse...

Feliz Natal, Linda!


muitos beijinhos

Mariazita Azevedo disse...

Gostaria de partilhar contigo a minha postagem de hoje, dia 14/01/14, no meu blog A CASA DA MARIQUINHAS/
Desde já o meu “Bem hajas”!
Beijinhos
Mariazita
(Link para o meu blog principal)

Jaime Latino Ferreira disse...

ANA MARIA SIMÕES


Linda, Querida Amiga

Muito obrigado!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 14 de Janeiro de 2014

Mariazita disse...

Boa noite, Linda
Muito obrigada pelo carinho da tua presença na minha «CASA». Eu ausentei-me por três dias… e por isso só agora estou agradecendo a visita.
Muito Obrigada, e ainda bem que gostaste.
Uma boa noite e uma semana feliz.
Beijinhos

Esse poema é lindo, comovedor!
Gostei imenso.